sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

Sim, está decidido

                         Hoje resolvi, eu vou atrás do meu  v e n t i l a d o r !





(Mani Jardim - inspiração: O Palhaço/Selton Mello)

quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

Falar é fácil. Fácil?


Sacomé, tem dia que a gente acorda se sentindo superpoderorsa. Disposta a rasgar o véu da lenga lenga, meter o pé na porta e dizer todas aquelas verdades represadas. É ele, é o dia da MUDANÇA. E você está preparada, levantou de uma insônia braba e já está com o texto bem ensaiado.

Então você toma o café, ou melhor, engole o café, dá uma checada rápida nas redes sociais e parte afiada pra missão impossível.  Pronto, você está frente a frente com o seu “lado negro da força” e espera que ele/ela te de a abertura clássica, o  famoso start: Está tudo bem com você?  Mas, pra sua tristeza (e profunda revolta) surpreende-se com um: Nossa, como você está linda hoje! (com exclamação acentuada). Caceta foi tudo pro saco, você suspira e diz: Jura você achou? Esquece o texto, esquece a revolta e aceita até ingerir algumas calorias desnecessárias.
(Mani Jardim)

quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

Ano novo! Vida nova!


Que tal dar uma chance pro destino? Sim, um novo ano pede atitudes ousadas e novos desafios.  “Mas vale um pássaro na mão do que dois voando?” Bobagem, é melhor deixar esse pássaro que não sabe o que quer voar e aproveitar as duas mãos para agarrar um muito melhor. Afinal, o que não progride não serve pra nada, aliás, serve sim, serve pra limitar, desperdiçar tempo e energia. Uma pessoa à espera não brilha, não faz história.

Eu sei que construir é difícil, mas algumas obras já estão embargadas há muito tempo. E acredite: certas coisas não vão evoluir nunca! E algumas pessoas também não. Porque simplesmente não sabem o que querem da vida e são capazes de levar uma eternidade alí naquele mesmo lugar. Essas pessoas não foram tocadas pela ambição daqueles que conquistam. Não em todos os campos da vida. E esperar por elas é besteira, porque são capazes de seguir, mas escolheram a frieza dos que enraízam.

É como a parábola de “Atirar vacas do precipício” se ainda não leu leia, é excelente. Ás vezes a gente precisa partir, traçar novos caminhos e encarar novos fantasmas, ou os mesmos talvez. Fato é que não é fácil mudar, a mudança é um botão assustador e cheio de espinhos. Mas todos esses adjetivos só existem na nossa cabeça, na verdade ela é mais simples do que se imagina e melhor do que a insatisfação diária dos que não ousam. Um novo emprego, uma nova paixão, um novo cenário são aparentemente assustadores, mas o que seria da alegria se estivesse fadada à “reprise”? Um novo ano bate à porta e você não vai querer cometer os mesmos erros. Guarde os pássaros que valem a pena, deixe voar aqueles que não te servem mais e prepare-se para uma nova aventura. Coragem!
(Mani Jardim)

terça-feira, 18 de dezembro de 2012

Hoje eu queria...

- Tomar chuva com minhas primas.

-Fazer bisqui com a massa de bolo da minha avó.

- Assistir um filme “mulherzinha” com a minha mãe.
-Comprar pijamas.
-Levar minha cachorra pra um lugar divertido.
-Telefonar pra uma das minhas quatro melhores amigas (Monique, Carol, Laurinha e Juliana)
-Ouvir do meu irmão o quanto eu sou linda.
-Virar de ponta cabeça em um parque de diversões.
-Ler um artigo gostoso e energizante.
-Me superar na academia.
-Levar meu pai na livraria.
-Levar meu outro pai na churrascaria.
-Conversar um pouco com a minha irmã.
-Visitar meu avô no asilo e conseguir falar com ele por mais de 2 minutos.
-Ouvir um “muito obrigado” sincero de alguém.
-Ler uma carta escrita especialmente pra mim.
Hoje eu queria um pouco dessas coisinhas, cotidianas e especiais. Momentos que eu já vivi e que ainda quero viver...Detalhes ricos da minha história que definem a minha felicidade.  
(Mani Jardim)

segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

Cerejas


Hoje eu deitei no sofá, com um pote de cerejas e sem chinelos – como quem deita com tempo e dedicação ao tédio. Embora, o relógio estivesse sugerindo que voltasse ao trabalho eu me permiti aquele momento.  

Como num divã, pus-me a analisar a vida, a minha vida! Experimentei a experiência de “quase morte”, aquela em que se afasta para observar o todo com equidistância. Vi tantas imperfeições ali, vi uma menina assustada e cheia de bloqueios. Mas, que ao mesmo tempo, quer mais da vida. Vi uma menina que se nega a assumir o papel de mulher e se apega com força as suas meninices e me certifiquei da ideia quando saltou dos fios um ponto vermelho, uma presilha de laço com bolinhas amarelas. Sim, aquela era mesmo eu, Mani Jardim, uma mistura de cores vibrantes, um olhar distante e uma criação de borboletas azuis no estomago.

Eu era eu e mais ninguém. Ainda me adaptando a “solteirice” e cheia de planos e metas singulares. Camuflando uma vontade atrevida de me apaixonar novamente. Ali estava eu, entregue como uma folha seca que despencou da árvore para seguir as intempéries do vento. Ainda com algumas contestações pendentes, fui interrompida pelo relógio e voltei, mais lúcida e esclarecida!

(Mani Jardim)

segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

GULA


Sou antes de mais nada uma insaciável. Não sei lidar com o “belisca e assopra” da vida. Quero e quero por inteiro, dispenso fatias. (Mani Jardim)

O AMOR!

"Porque amor é amor a nada,
Feliz e forte em si mesmo."


Quando a insistência em me questionar sobre o amor (ou a falta dele) me dominou por completo eu esbarrei neste trecho de Drummond e muita coisa fez sentido. Acho que essa é a minha natureza, o meu EU LIBERTADOR. Sim, é um suspiro desgarrado que trago no peito.

quarta-feira, 14 de novembro de 2012

Constituição de 1988 regulamentada!

Ontem a Câmara aprovou o projeto que exige valor dos tributos na nota fiscal. Oprojeto surgiu a partir de 1,5 milhão de assinaturas e prevê que nove tributos sejam discriminados na nota. Justo? Ao todo, deverão ser discriminados nas notas fiscais nove tributos: ICMS, ISS, IPI, IOF, IR, CSLL, PIS/Pasep, Cofins e Cide.Como já foi aprovada no Senado, a proposta segue para sanção da presidente Dilma Rousseff.

terça-feira, 13 de novembro de 2012

Augusta! Me Gusta!

Gostei muito da iniciativa, meu espacinho favorito em São Paulo vai ser agraciado com incrível intervenção artística.
A terceira edição do Vídeo Guerrilha vai preencher as fachadas da rua Augusta com fotos, vídeos, gravuras e projeções. Entre os dias 22 e 24 de novembro, 14 fachadas e paredes de prédios localizados entre as ruas Fernando de Albuquerque e Marquês de Paranaguá receberão projeções, animações e fotografias que abrangem o trabalho de mais de 100 artistas do Brasil e do mundo.

Vão estar presentes obras de artistas russos, cubanos, espanhóis, italianos, peruanos, indianos, franceses, argentinos, mexicanos, colombianos, noruegueses, chineses, canadenses, americanos e brasileiros. A proposta do evento é promover um intercâmbio artístico, cultural e profissional, dando, ainda, oportunidade para trabalhos de jovens talentos e estudantes.

O Vídeo Guerrilha está em sua 3ª edição e, em 2011, foi o vencedor do prêmio “Melhor Iniciativa Cultural em Artes Visuais”, Concedido pela Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA).

Mulheres

Em sua campanha o fotógrafo David Jay mostra o corpo de mulheres após um tratamento de câncer. Para ele, é necessário fazer um tipo de trabalho como este. “Eu não vou mostrar apenas metade da história – que tudo vai ficar bem e essas meninas têm câncer de mama”, afirma. *Particularmente, achei fantástico!

“Retiro-me do centro, reflito sobre as flores sintéticas do jardim. Lembro-me que, bem no fundo, sou apenas uma testemunha. Retorno e olho novamente, mas, desta vez com olho mágico. Concluo. No interim minha impaciência inerente à minha força bruta grita: Hacia! Adelante! (...)”

(Mani Jardim – A Fresta de Minha Fossa Abissal)

“Ressinto-me de minha rebeldia, de minha revolta gratuita. Sou assim desde pequena, o bebe que não aceitava presilhas no cabelo. Cuja primeira palavra foi um sonoro e pontual: NÃO! Sei que preciso aprender a lidar com as cortinas da vida, mas minha terapia evolui “a passos de formiga e sem vontade”, porque gosto de ir parando no caminho. Eu que já personifiquei admito a minha sensibilidade excêntrica, mas, acima de tudo, a minha ambição espiritual. Gosto de fidelizar sensações e escrevo para dizer que não me canso. Escrevo para afirmar, de forma cansativa, a minha persistência em ser incansável. As palavras que saem de mim não são verdades absolutas, não são teorias cientificas capazes de resolver equações complexas, tampouco trazem a cura de qualquer cólera vagabunda. Não! São sentimentos em ebulição, em busca de uma simbiose qualquer. Para o outro talvez sejam palavras sem a menor inter-relação, mas- para mim- são sangradas da alma. Reagem ao meu entusiasmo, transformam o meu exterior e me eternizam. São minhas estalagmites e estalactites, expressões abstratas que definem e decoram minha caverna interior. Nelas afirmo minha independência, o meu guidão condutor (...)”

Liquidificador

"Misturei meus sonhos e desprazeres, bati a mistura no liquidificador de minha mente e bebi os conselhos que insisti em ignorar. Sozinha, consenti que tapei-me pra verdade durante anos." (Mani Jardim)

Cores

Destilei tons pastéis em cores vibrantes, dei contraste.
Curiosa, adicionei açúcar mascavo, mel e limão e criei novos sabores.
Insatisfeita, lambuzei as mãos e os lábios e rolei no chão vazio.
Tornei-me a obra, a moldura e o quitute.
Escrevi palavras para também ser prosa.
Entoei as mesmas com melodia para também ser música
Com um espelho refleti a luz do sol em mim para poder brilhar
Voltei o mesmo para os meus olhos para me duplicar
Fui imensidão, infinita, prazeres e desprazeres.
( Mani Jardim)

Nunca Mais

As atuais implantações colocam em pauta assuntos de resgate. Sem dúvida, o País está diante de seu momento de glória. O “merthiolate”aplicado sobre velhas feridas desfaz amarras importantes, que esquecidas, foram capazes de corroer silenciosamente o nosso sistema. A morosidade deu lugar à ação, que propõe uma nova política alicerçada em propostas combativas e menos covardes.
A começar pela plausível decisão do Supremo Tribunal Federal, que aprovou a constitucionalidade de cotas para negros no ensino superior. A atitude nos permitiu sair do lugar comum, livrou-nos do rótulo de democracia de desiguais e deu passos importantes rumo à igualdade e justiça.
De volta aos trilhos da racionalidade, assistimos a outra importante vitória. A recente nomeação dos integrantes da Comissão da Verdade firmou a consolidação de uma proposta corajosa, que faz justiça ao passado e resgata a história do País.
A certeza de que só se vence uma guerra estando nela nunca foi tão priorizada em nossa história. Preparados ou não, nos próximos anos estaremos no alvo. A ascensão econômica aliada ao posicionamento estratégico e às recentes conquistas são dilemas que também exigem da população uma maturidade muito maior. O velho conselho de mãe nunca nos vestiu tão bem, o alertar de que quanto mais poder se tem, mais responsabilidade se adquire nunca latejou tão forte em nossas veias.
Convencida a esticar o resgate referido ao universo cultural, aponto a “nova paixão musical” da juventude como importante sinalizador dessa teoria. A observável valorização do rap, o conceito atinge hoje uma autonomia jamais imaginada. Seu público “é todo mundo” e sua voz agora canta em todas as casas, sem limites sociais.
Diante de um cenário favorável e de ouvidos menos preconceituosos é que um dos maiores porta-vozes da periferia, Mano Brown, reforça a aceitação do momento e apresenta seu novo trabalho “Marighella”,a música homenageia o guerrilheiro morto na ditadura, Carlos Marighella e seu clipe será gravado na Ocupação Mauá.
Repare a semelhança dos fatos: cotas raciais, Comissão da Verdade, economia acessível, ascensão do rap, Mano Brown, Carlos Marighella e ditadura.
A contestação é inevitável. Estamos diante de um cenário que privilegia a reparação dos estragos do passado. Finalmente, podemos afirmar que vivemos em um País cuja história é valorizada, em um País cujos ídolos não são mais importados. Somos uma nação que ao afirmar sua conquista econômica afirma também sua conquista histórica e cultural.
(Mani Jardim)

terça-feira, 22 de maio de 2012

Fashion Rio começa hoje e vai até o dia 26




 A aposta deste ano é a predominância do verde e do astral “natureza” no catwalk carioca, já que o tema desta edição será a Botânica, com título "A Botânica e a Alma Ambientalista do Rio de Janeiro". O evento também vai reforçar o momento atual de celebração da vida que chega com a realização do Rio + 20, a Conferência da ONU sobre Desenvolvimento Sustentável.


Os desfiles começam às 16 horas, a grife Agatha, por exemplo, trará peças com formas geométricas, volume e movimento, e Jesus Luz na primeira fila. Já a Reserva desfila com novidades, como a linha de peças femininas Eva e fará um desfile com homens, mulheres e crianças, a grife fechará o evento no dia 26. Os desfiles da Oh Boy e Blue Man que acontecem ainda hoje são muito esperados.

segunda-feira, 9 de abril de 2012

100 Anos de Mazzaropi

Amácio Mazzaropi, o ator que se destacou protagonizando o simples caipira brasileiro, completa 100 anos de nascimento este mês.

Filho de imigrante Italiano, Mazzaropi nasceu em São Paulo, no dia 9 de abril de 1912.



Em homenagem ao centenário de nascimento do ator, a Cinemateca de São Paulo irá realizar, neste mês, uma mostra com a apresentação de alguns de seus filmes. Fala sério, tuuuudo de bom né?!




Documentários Pierre Lévy

Pessoal, de 9 a 12 de abril, às 20h, o SescTV irá reexibir uma série de documentários sobre o filósofo e pensador tunisiano Pierre Lévy, reconhecido mundialmente por suas reflexões sobre internet, sociedade e cibercultura. Dividida por temática, em quatro documentários, Lévy discute o impacto das novas tecnologias para o trabalho, para a educação, para o estilo de vida e para a estética no mundo.

Eu recomendo os vídeos de Lévy, ele é fantástico!

Documentários:
As Formas do Saber – Pierre Lévy: TrabalhoDia 09/04, às 20hClassificação Indicativa: LivreReapresentações: Dia 10/04, às 6h e às 14h; 11/04, às 8h e às 12h; e 14/04, às 9h.As Formas do Saber – Pierre Lévy: EducaçãoDia 10/04, às 20hClassificação Indicativa: LivreReapresentações: Dia 11/04, às 6h e às 14; 12/04, às 8h e às 12h; e 14/04, às 11h.As Formas do Saber – Pierre Lévy: TecnologiaDia 11/04, às 20hClassificação Indicativa: LivreReapresentações: Dia 12/04, às 6h e às 14h; 13/04, às 8h e às 12h; e 15/04, às 8h.As Formas do Saber – Pierre Lévy: Arte e PensamentoDia 12/04, às 20hClassificação Indicativa: LivreReapresentações: Dia 13/04, às 6h e às 14h; 15/04, às 10h; e 16/04, às 8h e às 12h.

terça-feira, 13 de março de 2012

Retirada da Cruz!

Concordo com a retirada da cruz, nosso Estado é laico e isso finda a necessidade de maiores explicações, mas na verdade não é somente por esse motivo que concordo.
Concordo que a cruz não deve estar nos Tribunais, nas Câmaras Legislativas, nas Delegacias e nos Hospitais. Concordo porque elas não devem estar onde, em determinadas situações, os pobres têm menos direitos que os ricos, onde eles são constrangidos, preteridos e massacrados. Concordo porque acho uma ótima oportunidade para pararmos de envergonhar Jesus Cristo!

sábado, 10 de março de 2012

Festival do Cinema Frânces em Rio Preto



O cinema francês esta em evidência, o que antes era uma peculiaridade dos adoradores da categoria “cult”, agora caiu no gosto de muitos cinéfilos. Tudo isso se deve a produção francesa “O artista”, dirigida por Michel Hazanavicius, o filme conquistou o Oscar 2012 de melhor filme, além de outras estatuetas.

A grande novidade é que Rio Preto vai receber o Festival de Cinema Francês, promovido pelo Grupo Chainça de Cinemas, no final deste mês. O Festival irá apresentar dez filmes de produção e realização francesa entre os dias 30 de março e 5 de Abril, no Cine Eldorado. O evento que conta com apoio da Cinemateca da Embaixada da França, irá exibir filmes diariamente, no valor de R$6.



Mais informações pelo 3222-7578