segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

AFASTE-SE DE PESSOAS RABUGENTAS




Que tal dar uma vasculhada no que contorna sua vida, ou melhor – nas pessoas que contornam a sua vida? A gente sabe que pessoas rabugentas são C-H-A-T-A-S, mas pouco se fala do quanto elas também podem ser nocivas. Afinal, você quer ser músico mesmo que pra isso tenha que passar uns apertos no final do mês. Você quer fazer aquele curso alternativo que tem poucos interessados. Você quer aquela profissão que não escorre regalias. Quer viajar sem antes ter seguido os planos de aposentadoria dos economistas. E o principal: não suporta mais explicar que é por paixão. Você quer! Você tem grandes sonhos com suas ambições malucas e conhece histórias geniais de pessoas que foram até o fim. E tudo seria simples se a determinação dependesse só da sua força movendo aquilo que acredita. Mas existe aquele alguém que está ali para minar seus sonhos. Não falo daquela pessoa que se importa com você, alerta os perigos, mas deixa que você se arrisque. Falo de quem sequer se dedica a entender sua motivação. Falo das pessoas rabugentas. Aquelas que sempre dizem: isso não dá dinheiro, você está ficando velho... Pessoas rabugentas não sonham – elas poupam. Poupam vida, entusiasmo, expectativa, frio na barriga e – sobretudo – dinheiro.  Quer um conselho? Afaste-se de pessoas rabugentas! Não porque você não é forte o suficiente para lutar ao lado delas, mas porque elas podem fisgar você em um dia ruim, um dia que o seu projeto não foi bem sucedido, um dia de sol tímido... E quando você perceber estará engravatado atrás de uma mesa olhando um peso de papel que pesará em cada euforia que você amputou. E vai doer, talvez pra sempre, talvez você até se torne o rabugento. Lembre-se: é seu sonho, sua vida. Se for pra alguém olhar e dizer “hum, acho que não é isso” que seja você, depois de ter dado os seus próprios tropeços. 


(Mani Jardim - trecho de A Fresta de Minha Fossa Abissal)