quinta-feira, 8 de maio de 2014

Vendi artesanato, poesia, malabares e voltei rica...



Sabe, acho engraçado quando as pessoas dizem acanhadas: “Você morou na rua, né?”; “Você era hippie e foi embora um tempo” ou “Me contaram de você”. A melhor de todas eu ouvi ontem, mas... Enfim. Sim, eu fui embora um tempo... E me orgulho por cada momento que vivi, eu dormi na rua – sim - quando precisei, dormi no meio do pantanal e em bibocas na Bolívia. Aprendi a montar uma barraca rapidamente porque ia escurecer e a desmontá-la mais depressa ainda. Aprendi, com o meu 1 metro e meio, pular na carroceria de caminhões gigantes pra não perder a carona, aprendi que onde não tem farmácia a natureza revela ser a verdadeira mãe da medicina, aprendi  que café de ribeirinho é o mais gostoso que tem, que gente humilde acolhe, dá comida, dá carinho e dá sorriso. Aprendi que de fome eu não morro, que de frio eu não morro e que onça não avança se não for incomodada. Vendi artesanato, poesia, malabares e voltei “rica”!
Pedalar parte do Brasil me fez aprender muita coisa que carrego com orgulho no meu coração. Aprendi que as orações da minha mãe são tão fortes que guardiões, pessoas boas, anjos de Deus são colocados no meu caminho. Aproveito pra agradecer a uma amiga especial que conheci em Cuiabá me que me levou pra casa, ofereceu banho, comida e uma amizade que será eterna. Obrigada, Érica. E a tantos outros que não tive a oportunidade de manter contato. Sim, gente fui eu mesma... e não precisa ficar com medo de tocar no assunto, falar por beiradas, eu falo com orgulho, tiro dúvidas, podem ficar à vontade, sem drama :)